Pesquisar este blog

Carregando...

quarta-feira, 2 de junho de 2010

Cabeça de Boi - Itambé do Mato Dentro

Cachoeiras e trilhas em Cabeça de Boi, distrito próximo a cidade de Itambé do Mato Dentro, na Serra do Cipó, Minas Gerais.


Cachoeira do Lúcio - Complexo do Entancado - Cachoeira das Maçãs
Nível Médio
Dificuldade : estrada de terra difícil

Leia também:
Travessia Travessão-Cabeça de Boi e suas cachoeiras (inclusive a das Maçãs!)

Descrição Geral
Itambé do Mato Dentro e redondezas é ainda uma região relativamente pouco conhecida e divulgada - o que por um lado é muito bom. Por outro, é mais custoso conhecer as maravilhas que o local oferece. Talvez por isso a região se torne mágica e tomara continue assim - apesar deste post facilitar um pouco a vida daqueles que desejam visitar Cabeça de Boi.

Com o mapa que será postado no segundo post dessa série você percebe que Itambé do Mato Dentro e Cabeça de Boi se encontram atrás da Serra que já conhecemos bastante (a Serra de Farofa, Taioba, Farofa por Cima, Fantasma, João Fernandes entre outras).

Optamos por chegar até Itambé do Mato Dentro via Itabira, passando por dentro dela (pelo Google Maps o caminho é mais curto). Outra alternativa é seguir até Cardeal Mota, subir a serra passar pelo Juquinha em direção a Morro do Pilar e finalmente chegar a Itambé do Mato Dentro.

Roteiro:
Resumo:
BH -> Itambé do Mato Dentro (150km) -> Cachoeira do Lúcio (parada 1) -> Cabeça de Boi (+30km) - Complexo do Entancado (parada 2)

Descrição (e fotos)
Pelo fato de a região possuir muitas atrações, é possível montar uma variedade grande de combinações para conhecer esse lugar. Um fim de semana é, de fato, muito pouco pra conhecê-la bem.

Saímos as 8 da manhã de Belo Horizonte em direção a Itambé do Mato dentro, passando por Itabira. Chegando a Itabira não é muito difícil se perder para chegar a Itambé. Existem poucas placas, o ideal é que você pergunte como seguir até lá , para os nativos. Perguntando a eles, depois de nos perdermos um pouco, começamos a sumir um grande morro em estrada de terra até Itambé (são cerca de 30km entre Itabira e Itambé do Mato Dentro).

Chegamos lá por volta de 11:20 e então decidimos já almoçar para depois ir atrás das cachoeiras.
Nos sugeriram o restaurante do Hotel Estrela (também conhecido como 5 estrelas), parece ser o maior da região.

É claro que o Hotel não é 5 Estrelas, mas deve atender bem. Os nativos da região pareciam meio assustados com a nossa presença, acho que eles não estavam acostumados com a nossa dinâmica, com a liberdade para perguntar o que tinha pra almoçar ou que suco havia.

Surpreendentemente tivemos problemas para achar um suco de frutas nos restaurantes/lanchonetes da região. So havia refri (para o desespero da Nat, nossa acompanhante nessa viagem).

O restaurante foi legal, mas a comida também não era exceleeeente, foi um restaurante meio termo, mas parece ser um dos melhores da cidade. Depois do almoço ainda passamos no primeiro camping da cidade para saber se ele era bom. Me esqueci do nome do Camping, mas esse primeiro que visitamos é um que fica numa rua sem saída, onde no fundo fica uma loja de souveniers, roupas e coisas gerais em geral :)

O Camping estava totalmente vazio e era bom. Uma área razoável de grama e banheiros bons, com uma área perto ao banheiro , com mesa. Banheiros com água quente e um valor de R$15,00 por pessoa.

Ainda assim, postergamos a decisão para depois, porque ainda passaríamos em um segundo camping (Camping Beira Rio).

Saindo de Itambé em direção a Cabeça do Boi, enxergamos a Cachoeira Vitória (que deixamos para o segundo dia) que é vista de longe, da estrada (à esquerda). Já, o meu GPS acusava que a Cachoeira do Lúcio estava próxima, só que a direita.

Cachoeira do Lúcio
Resolvemos parar e ir em direção a ela. Na sede de encontrá-la, eu fui com muita sede ao pote e veio o primeiro susto: avistei uma queda (o que depois fui descobrir que se tratava da primeira de 3 quedas) e no ímpeto de chegar rápido a ela acabei escorregando numa pedra e caindo cerca de 3 metros de altura. Não foi uma queda livre, o que me safou de ter me machucado bastante, acabei caindo de bunda direto pra água de tênis, roupa, mochila e tudo em cima.

Molhei tudo: minha comida, meu gps, meu celular novo (porque o velho eu tinha acabado de perder na Travessia de Travessão) e minha máquina (a mais prejudicada nessa história).

Tudo por sorte funcionou, exceto minha máquina fotográfica, não ligava mais. Nem consegui olhar pra queda direito e de repente descobri que eu, nas expedições, sem uma máquina fotográfica, me sinto amputado. É como se eu estivesse caminhando sem um braço.

Os meninos vieram atrás de mim e encontraram uma segunda trilha que vinha para essa queda, por sinal, muito melhor (e menos perigosa que a minha). Eu estava ilhado em uma pedra (depois veja as fotos) de forma que não tinha como eu subir de volta por onde tinha caído. Tive uma certa dificuldade para sair de lá sem molhar as coisas mas por sorte acabei conseguindo, sem ter me machucado seriamente. Péeeeeeeee para mim por ter ido com muita sede ao pote.

Paralelo a isso, o Cadu estava também indo com muita sede ao pote um pouco mais abaixo (na verdadeira Cachoeira do Lúcio). Depois no fim ad viagem, descobrimos que essa que o Cadu descobriu é a Cachoeira do Lúcio mesmo. E a que eu descobri (mais dificil acesso) convencionamos chamar de Cachoeira do Lúcio de cima.

Voltando para o carro, onde decidimos procurar a Cachoeira Baixa das Crioulas (que era pra esses lados, porque vimos uma placa) . Eu ia tentando ligar minha máquina entrementes, e a não resposta dela me deixou bastante mal humorado. Ela ligava algumas horas, mas sem que aparece nada no visor. Tanto que sai da Cachoeira do Lúcio de cima sem conseguir tirar nenhuma foto!

Cachoeira Baixa das Crioulas (Mito Detected)
Chegamos em um fim da linha (para o carro) e começamos a andar sem ter certeza se aquele caminho ia para a Cachoeira Baixa das Criuolas. Chegamos a ver uma placa pra essa cachoeira, mas , ainda na estrada, algumas bifurcacações aparecem sem placa. Acabamos seguindo o nosso instinto mas nada encontramos. Apesar disso, a trilha em busca dessa cachoeira foi agradável. Tivemos que passar por um campo com um rio ao lado, e uma pontezinha pelo caminho.

Seguimos adiante, então, em direção a Cabeça de Boi, em direção ao Vale Entancado.

A estrada de terra até lá é relativamente tranquila, mas distam aí uns 15km entre Itambém do Mato Dentro e Cabeça de Boi. Chegando lá, olhamos uma área de camping que lá existe, mas decidimos não ficar lá por maioria de votos (a maioria preferiu ficar no camping de Itambé do Mato Dentro).

Perguntamos num bar local onde ficava o vale e por sorte havia uma turma de motoqueiros que soube nos dizer o caminho e se ainda era tempo de visitar o local. Ele disse que se estávamos de carro era tranquilo.

Da cidade até o Vale são cerca de +6km de terra. Vale o aviso: É preciso atravessar um rio e ele tem uma altura considerável (cerca de 20 a 25cm de altura). Nós tivemos que olhar bem antes de atravessar com a Eco Sport (que passou quase no limite). É possível que em época de cheia só passem ali caminhonetes maiores. Fique atento! (acho qeu um carro de passeio não passaria por ali).

Existe uma ponte apenas para motos, para carros não.

A estrada, passada o rio, é bem tranquila e o ponto onde deve-se parar o carro também é.
Existe uma plaquinha escrito "estacionamento" e uma estranha casa de tijolos com uma placa "aluga-se para temporadas". Singular!

Podemos considerar que Entancado é um parque, dado que possui boa sinalização e um complexo de poços e Cachoeiras.

Na sequência você vai encontrar as seguintes atrações:

->Cachoeira do Chuvisco
->Cachoeira/Poço do Entancado
->Cachoeira das Maçãs (não alcançamos por falta de tempo).

Cachoeira do Chuvisco e Cachoeira do Entancado ficam na mesma trilha. Para ir à das Maçãs, deve-se voltar um pedaço, atravessar o rio que acompanha uma parte da trilha e seguir pela direita. (nós não vimos a placa)

A seguir, fotos com detalhes de Cabeça de Boi e uma parte de Itambé do Mato Dentro:

Fotos:
Rio do "Lúcio"

Não sabemos se esse nome é oficial. Apenas "replicamos" o nome que encontramo no Google Earth. É uma cachoeira sem sinalização e de mediano acesso. De carro é fácil, mas é preciso ter marcado no GPS pra saber por onde seguir a pé.
Esta parte do rio fica bem do lado da estrada (pertinho da Cachoeira Vitória também). Possui uma longitude média, deixando agradável para se nadar por aqui (antes da cachoeira).
From Cabeça de Boi





Vários poços no Complexo do Lúcio. Estes estão ainda próximos a estrada, de fácil acesso.
From Cabeça de Boi



Parte do Rio do Lúcio bem escondido sobre as florestas. Possui uma trilha de fácil acesso, no entanto. (recomendamos GPS)
From Cabeça de Boi


Cachoeira do Lúcio :
Pequeno porte e escondida no mato. Pouca sinalização. Boa pra visitação rápida. (não é pra ficar muito tempo)

Ficha:
Nome: Cachoeira do Lúcio
Altura: 3m
Dificuldade da trilha: médio (um pouco dificil de achar)
Bate sol? : pouco, devido a vegetação densa em volta.
Poço : pequeno. Não dá pra nadar efetivamente.
Vegetação em volta: relativamente densa. Muitas árvores em volta.
From Cabeça de Boi



Obs: Infelizmente não tirei nenhuma foto da Cachoeira do Lúcio de cima, que é bastante legal. Ela é de difícil acesso (trilha rara e últimos 5 metros altos, tanto que levei um tombo). Possui uma queda de cerca de 5 metros, bonita, por estar bem cercada por vegetação. O poço é mais convidativo e dá pra nadar legal, apesar de não bater sol por lá. Logo depois tem a Cachoeira do Lúcio do meio, que parece bater um pouco mais de sol, igualmente com uns 5 metros de altura.
Segue um vídeo que filmei SEM QUERER logo após a minha queda no poço da cachoeira.
Por sorte eu filmei a Cachoeira do Lúcio de cima no primeiro segundo, dando pra ter uma ideia de como é a cachoeira e o poço. Vale aqui destacar a minha idolatria pela marca CANON, que após ter posto minha câmera Canon Power Shot A-590 a prova em provas DE FOGO como tombos feios e banhos frios, ela resistiu bravamente AINDA ASSIM. Na hora do tombo ela ficou cerca de 4 horas sem funcionar, mas depois voltou a normalidade, mesmo com MUITA ÁGUA dentro dela. Canon eu te amo!







Queda avistada no caminho para Cabeça de Boi. Avistamos várias quedas durante a viagem. A localidade como um todo possui um bom potencial para cachoeiras.
From Cabeça de Boi



Nossa tentativa de chegar até a Cachoeira Baixa das Crioulas nos levou até aqui, um visual legal, trilha margeando um belo rio. Essa paisagem (ainda em Itambé do Mato Dentro) se assemelha muito a paisagem das trilhas de Cabeça de Boi (onde há um trilha quaaase igual a essa abaixo). Atravessamos essa pontezinha e seguimos mais um pouco, mas não encontramos a trilha para a cachoeira e voltamos. Obs: Não conhecemos a localização exata desta cachoeira.
From Cabeça de Boi



Placa no "centro" de Cabeça de Boi (ou Santana do Rio Preto). É um minúsculo vilarejo ao pé de um monte, oferecendo alguns complexos de cachoeira bacana (por certo deve ter algumas cachoeiras ainda não desvendadas). O Vilarejo oferece um camping (R$15,00 por cabeça) que nos pareceu razoável. Por razões de logística não ficamos lá, mas parece uma boa opção pra se curtir o Complexo do Intancado em um dia inteiro.

O Camping é bem improvisado, mas dá pra ficar (possui agua quente). Ponto meio crítico é que não vimos nenhum restaurante de porte médio na cidade, vimos apenas barzinhos.

From Cabeça de Boi




Trilha no ponto de bifurcação: Cachoeira das Maçãs e Cachoeira do Entancado. O visual é bem parecido como uma das fotos anteriores. O rio é belo e interessante de ser explorado. Para seguir a Cachoeira das Maçãs deve-se atravessar o rio e seguir por sua direita. Essa foto tirei olhando em direção ao estacionamento, logo a trilha das Maçãs fica a minha esquerda (trilha que não deu tempo de fazer).
From Cabeça de Boi


Cachoeira do Chuvisco : Bela paisagem, pouca água e poço médio.
Boa cachoeira pra descansar um pouquinho (mas não pra ficar muito).
Ficha:
Altura : ~10m
Largura : extensa, ~15m
Dificuldade : trilha fácil.
Bate sol? : Sim! A partir do meio dia. A queda fica virada para o por do sol
Temperatura : gelada! mesmo com sol.
Poço: 5m X 10m.
Profundidade do poço: raso. no máximo uns 60cm (em época de relativa seca)
From Cabeça de Boi


Detalhe para a queda com o poço da Cachoeira do Chuvisco. Água gelada. Uma breve notícia boa é que como a queda vai batendo muito nas pedras antes de cair no poço, ela cai um pouquinho quente, devido a energia mecânica despendida. Ok, mas não é suficiente pra te esquentar não, hehe, é só um alento.
From Cabeça de Boi



Notas (0 a 5):
Pulabilidade no poço: N/A. Não dá! É muito raso.
Ficabilidade debaixo da queda: 3. Legalzinho e um pouquinho quentinho.
Nadabilidade no poço: 2. Só é pra molhar. Não pra nadar. Apesar disso o poço é convidativo.
From Cabeça de Boi


Placa característica do Complexo do Intancado (ou Entancado?) Já vimos os dois nomes. Mas parece que o oficial é Intancado mesmo. A do CHuvisco é a mais próxima do estacionamento, seguida pela das Maçãs (segundo as placas) e depois a Cachoeira do Intancado.
From Cabeça de Boi




Cachoeira do Intancado. Está mais para um conjunto de poços na verdade. Não tem uma verdadeira cachoeira, mas várias quedinha reunidas em um amplo salão de pedras curvados por água. Na posição dessa foto, apenas por curiosidade, a Cachoeira das Maçãs fica a nossa esquerda.
From Cabeça de Boi


Visual das Pedras na Cachoeira do Intancado. Todas as pedras segmentadas e legais de se andar. A direita da foto uma parte de um poço da Cachoeira. Não são muito fundos.
From Cabeça de Boi


Pequena queda do Conjunto do Intancado.
From Cabeça de Boi



Formação comum em Itambé do Mato Dentro e Cabeça de Boi.
From Cabeça de Boi


Visual do rio acima do Conjunto do Intancado. Rio bonito e super tranquilo para se nadar. Será que esse rio é o que forma as Maçãs também? Ficamos devendo uma foto da Cachoeira mais famosa desse complexo todo, porque não tivemos tempo! Fique atento a plaquinha à DIREITA do rio (olhando para os lados das cachoeiras), porque Intancado e Maçãs não estão na mesma trilha. A mais bacana pra se ficar deve ser a Cachoeira das Maçãs, as outras que citamos aqui são apenas para visitação relativamente rápida.
From Cabeça de Boi


Resumão:
Complexo do Lúcio

O complexo do Lúcio é um conjunto de cachoeiras em um trecho do rio que passa próximo a Itambé do Mato Dentro. No google Maps há (até o momento deste post) apenas uma foto da cachoeira, mas nós vimos pelo menos 3.



Complexo do Intancado

O complexo do Intancado (ou Entancado, como alguns escrevem) é um conjunto de poços e cachoeiras da região, a mais badalada (pelo menos até o momento) de Cabeça de Boi. Não sabemos se o complexo engloba, teoricamente todas as cachoeiras que lá estão, mas como lá é uma espécie de parque (apesar de aberto), consideramos que Entancado é toda aquela região.

Basicamente, vale a pena conhecer nesse Complexo:

->Cachoeira do Chuvisco
->Cachoeira do Entancado (menor delas)
->Cachoeira das Maçãs (mais legal)
->Lajeado (poço)
->Outros poços

Nessa ordem, preferencialmente.

Vídeos:















No próximo post: Cachoeiras em Itambé do Mato Dentro e o mapa do nosso circuito, Itambé + Cabeça de Boi

Download de Mapas:
Versão .gpx (para GPS's)
Versão .kml (para Google Earth)

5 comentários:

ricardo cabral lage disse...

galera, bacana demas o blog...
essa parte de cabeca d3e boi me encheu de saudade de la, estive por la essa semana..
cara, da p visitar a maça e o intancado com meia hora dps d parar o carro... e a da maça eh a mais bunita disparada...
em cabeca d boi tem a melhor comida mineira dos matos(feita pela geralda mulé do vicente), no mais achei o campng d la muito limitado, sem contar q tava tendo uma obra la e fomos acordados com um funk pelos nativos.
entao, o nome intancado vem da Guinlagem Camaco(acho q nasceu em itabira ou sta maria d itabira), essa guinlagem se resume na troca das primeiras silabas das palavras..
logo temos incantado ou inves d intancado.
abraco e parabens

Anônimo disse...

mario,pousadaportaldoitambe@yahoo.com.br,informa que a nossa pousada encontra- prontas para bem acolher a todos. em breve iremos inaugurar as instalaçoes do novo camping cahoeira do funil.aguaardamos voces. mario

mayaradfm disse...

Muita saudades de Cabeça de Boi. Estive lá a uns 10 anos atras.
Na época o camping de Itambé já era o melhor.
O blog está muito bom msm. Parabéns!

Ricardo disse...

Fino de mais esses lugares...

Anônimo disse...

roça maldita!!!