Pesquisar este blog

Carregando...

sábado, 19 de fevereiro de 2011

Itambé do Mato Dentro - Cachoeiras próximas e trilhas 4x4

obs: post não postado antes pode desatenção! (caça feita no mesmo fim de semana do post de cabeça de boi)

Esse post é destinado à cidade de Itambé do Mato Dentro, passando por algumas das cachoeiras mais conhecidas dela, uma padaria, um camping e a igreja do local.

Cachoeira Vitória -
NívelFácil
Distância (trilha) :
Preço: R$0,00
No segundo dia, na região de Itambé do Mato Dentro, fizemos um roteiro mais garantido e visitamos a visita obrigatória do local, a Cachoeira Vitória.

Começamos o dia tranquilos, depois de termos dormidos numa tranquilidade completa no Camping XXX [verificar nome], que estava deserto (só nós lá). A área do camping é excelente. Grande, um gramado bem cuidado, banheiros com água quente (4 boxes masculinos e 4 femininos sendo metade deles com água quente). Banheiro limpo e vários quiosques para apoio às barracas. Além disso possuem pontos de energia para carregar baterias ,celulares e outros.

Parte do gramado (apenas uma pequena parte, ele é bem maior!) com um quiosque aparecendo e parte da "praia" que faz parte da área do camping.
From Cachoeiras de Itambé



Parte do rio da cidade, que passa dentro do Camping. Muito agradável!
From Cachoeiras de Itambé



Quiosquezinho com boa iluminação e pontos de energia dentro do Camping
From Cachoeiras de Itambé

Pagamos o preço de R$20,00 para ficar. O único ponto ruim do Camping é não possuir uma lanchonente própria. Porém, o Camping fica tão próximo ao centro da cidade e restaurantes/lanchonetes locais que isso não atrapalhou muito.

Fomos ainda tranquilos para a Padaria próxima ao Hotel e tomamos um bom café da manhã (só deixou a desejar no pão de queijo e suco de frutas (que não tem!))
From Cachoeiras de Itambé
Ainda tivemos tempo de visitar a Igreja da cidade (que fica no caminho, entre o Camping e o centro):
From Cachoeiras de Itambé

Logo depois, partimos em direção a Cachoeira Vitória. Apesar de essa atração ser obrigatória neste roteiro, o caminho até lá não é muito bem sinalizado. Os nativos conhecem bastante essa cachoeira (está bem próxima da cidade) porém, há bastante dificuldade em conseguir a informação correta por parte deles. Pergunte bastante, sempre que puder, para fazer uma mescla das informações e torná-la mais confiável.

Não existem placas para o início da trilha. Tivemos facilidade porque já haviamos marcado no GPS, mas sem GPS não é muito trivial achar sua entrada.

Um pouco antes de parar para a Cachoeira da Vitória, deve-se parar numa pequena clareira que aparece a esquerda. Observação importante é que da estrada já dá pra visualizar a Cachoeira a esquerda (essa é a dica).
Porém, existe mais de uma clareira a esquerda o que pode confundir quem está sem GPS. Com GPS é mole. Entre a esquerda e siga a trilha normalmente.

Tenha em mente que você chegará na cachoeira por sua esquerda (e não em linha reta). Se tentar ir em linha reta, não conseguirá chgar a ela (segundo os nativos, esse é um erro comum dos que tentam chegar até lá).



O final da trilha para a Cachoeira acontece paralelo ao rio formado por ela, um rio bonito que fica a uns 10 metros abaixo da trilha, o que torna a trilha bem bonita.

Nesta foto estávamos no finalzinho da trilha, já depois de atravessar o rio para chegar por sua esquerda.

Emoção : chegando na Cachoeira Vitória
From Cachoeiras de Itambé
A Cachoeira Vitória tem uma boa semelhança com a Cachoeira de Tabuleiro, pelo menos no que diz respeito a seu paredão e sua queda. Paredões imponentes e de mesma coloração e quedas parecidas. Apesar, é claro, da Vitória ser, ainda, bem menor que a de Tabuleiro (que tem 273m).

Ficha:
Nome: Vitória
Altura: ~70 metros
Largura máxima: variável, devido ao vento ao fim de sua queda.
Dimensões do poço (C x L x P) : pequeno, em relação a queda: 6m X 8m X 1,8m. (ele tem o ponto mais fundo exatamente em seu centro.. cerca de 1,8m).
dá pra subir em seu topo? : só por outra trilha.
tem área pra ficar deitado? Sim.


From Cachoeiras de Itambé

Fotos do Poço:
No quesito poço, a Vitória não é tão legal. É como se fosse um canhão pra matar passarinho, ou melhor, uma quedona pra formar um pocinho. O poço é proporcionalmente bem pequeno em relação a queda, o que dá uma certa decepçãozinha. Mas apesar disso, claro que a Cachoeira é muito linda de ser visitada.

Dá pra ficar deitado numa boa curtindo a queda e dá pra se refrescar legal também. O poço não é grande, mas é bacana. Dá pra nadar um bocadinho.

No dia em que fomos a água estava bem barrenta, não sabemos dizer se água costuma ser sempre assim (acreditamos que não).

Nessa foto, a queda se encontra a esquerda, focando aí nas pedras molhadas pela queda, que são exploráveis.
From Cachoeiras de Itambé


O ponto onde a queda bate nas pedras varia conforme o vento. É muito bom chegar até o pé da queda pra sentir a força da água.

Notas (0 a 5):
Nadabilidade no poço: 2 (poço legalzinho, mas pequeno e raso).
Pulabilidade no poço: 1 (não da pra pular muito)
Ficabilidade debaixo da queda: 4 (legal, área explorável e sem muito perigo)
Beleza da cachoeira: 4,5 (imperdível)

From Cachoeiras de Itambé



Detalhe do poço, apontando para o lado direito
From Cachoeiras de Itambé



Parte da queda que impressiona
From Cachoeiras de Itambé

Vídeos:







Geral: Queda e Poço










Cachoeira do Funil -
Nível Médio
Dificuldade : Estrada de terra complicada
Preço de visitação: R$0,00

Depois de curtir a paisagem de Vitória fomos em direção a Cachoeira do Funil. A estrada para essa cachoeira é razoavel (nem tão fácil nem tão dificil), mas é fácil errar o caminho e dar grandes voltas (como nós fizemos). Eu havia marcado uma estrada que acabou dando muitas voltas (mas chegou lá).

A dica é seguir as placas para a Cachoeira da Serenata, até que haja uma placa onde se bifurcam, e aí falta apenas um km para a Cachoeira.

A paisagem antes de chegar lá é muito boa, passa-se por belos montes até chegar à... Cachoeiras dos Funis?

Ambiguous fall detected

Não conseguimos definir muito bem em qual parte do rio que encontramos era a Cachoeira do Funil. Chegando lá, (tinhamos marcado no GPS) não havia placas, mas havia uma entrada, no que parecia um protótipo de pequeno parque, mas sem um'alma viva.

Entramos por ali e andamos apenas uns 50metros para chegar a algumas quedas que, a principio, haviamos julgado ser a Cachoeira do Funil.


From Cachoeiras de Itambé



Formação bacana na suposta Cachoeira do Funil
From Cachoeiras de Itambé



Poço intermediário em um dos poços da Cachoeira do Funil
From Cachoeiras de Itambé


No fim das contas acabamos considerano que a Cachoeira do Funil, assim como a do Lúcio e Intancando é um complexo, e não apenas uma queda (mas nenhuma delas maior do que 5 metros de altura).

Apesar de quedas pequenas, propiciou vários poços legais de se nadar, como o abaixo:
From Cachoeiras de Itambé


Não ficamos muito tempo por aí, porque ainda queriamos conhecer a Cachoeira Serenata, que tinha placas sinalizando bem a sua chegada. Ao voltar a estrada, avistamos por sobre a ponte esta queda (que fica fora do pseudo-parquezinho que haviamos entrado), e aí sim, convencionamos chamá-la de Cachoeira do Funil, apesar que não fomos até seu pé, pra verificar poço e outras características.

Ficha:

Nome: Funil
Altura: ~20 metros
Largura máxima: 2 metros
Dimensões do poço (C x L x P) : pequeno, 3 x 3 metros. Mas possui vários poços intermediários, anteriores a sua queda (são as fotos anteriores).
dá pra subir em seu topo? : Sim, facilmente.
tem área pra ficar deitado? Sim, nos poços intermediários.

Notas:
Ficabilidade debaixo da queda: 3 (fácil sem perigo, e com sol batendo).
Nadabilidade no(s) poço(s): 3 (muitos pocinhos agradáveis e com sol).
Pulabilidade no(s) poço(s): 2 (poços muito rasos, mas dá pra simulra alguns pulos pequenos).
Beleza da queda: 2,5 (não impressiona muito, mas é bacaninha de se ficar um pouco).



From Cachoeiras de Itambé



Vídeos:
Poço agradável no Complexo do Funil:












Cachoeira Serenata -
Nível Médio
Dificuldade : Estrada de terra complicada
Preço de visitação : R$4,00
Extra: Cachoeira Lapoa (caminho)

A Cachoeira da Serenata fica bem perto da Cachoeira do Funil, porém, possui uma estrada de terra mais tensa. Algumas subidas cabreiras que até a Eco Sport teve dificuldades para enfrentar (na volta). Além disso, uma parte (de uns 500 metros) da estrada sinalizava aventura. Possivelmente pouca gente chega até a Cachoeira Serenata, pois o mato parece estar tomando conta da estrada (que fechava bem assuntando-nos um pouco, pela impossibilidade de dar meia volta e... subir de ré seria o fim).

Mas não tinha volta, pra chegar lá desce-se bastante até chegar num ponto em que a estrada fica muito ruim (impossível de se continuar de carro). Nós recomendamos parar o carro a uns 4km da cachoeira e continuar a pé, ainda mais se estiver com um carro de passeio. COmo não sabiamos dessa aventura, seguimso com um carro até falta apenas cerca de 2km da cachoeira.

Passamos a porteira e chegamos até a plaquinha de chegada:
From Cachoeiras de Itambé
Sim, é preciso pagar R$4,00 para entrar nessa cachoeira, o que achamos ruim a princípio, mas fazer o que. Já estávamos la depois de uma estrada cabreira então tá na cachoeira é pra se molhar. Quem cobra a entrada são os moradores da Fazenda, terreno onde a cachoeira se encontra.

Não havia ninguém por perto, batemos palma e chegou uma simpática senhorita nos atender. COm um sorriso radiente e comunicativa nos informou o preço (no que pagamos) e se ofereceu para nos levar até lá, pois segundo ela, a chegada até a cachoeira não era tão trivial.

Achei que isso era uma desculpa esfarrapada para dizer que valem os R$4,00 pagos. Porém, a mulher estava certa.



Capelinha no começo da trilha para a Cachoeira Serenata (já dentro da fazeda, seguindo a guia). Essa capelinha é visível no Google Earth.
From Cachoeiras de Itambé



Aqui está a razão de a nossa "guia" ter me convencido. Chegamos facilmente até este ponto, onde eu achei que já era a Cachoeira Serenata. Essa foto mostra uma queda de aproximadamente 7 metros (já maior do que tinhamos visto em Funil), porém, não é esta.

Esta cachoeira é a Cachoeira Lapoa (segundo a nativa-guia) , não citada em guias ou placas pela internet ou pela cidade.
From Cachoeiras de Itambé


Este é um moinho velho que não funciona mais, em frente a Cachoeira de Lapoa. O poço dessa cachoeira é bem convidativo e agradável, mas como ainda não era nosso destino seguimos reto. (nessa foto, a Cachoeira Lapoa fica a esquerda da foto).

Ficha:
Nome: Lapoa
Altura: ~7 metros
Largura máxima: cerca de 15 metros (larga)
tem área pra ficar deitado? Sim. vários. Agradável de se ficar.
Poço: Agradável, é na verdade uma parte do leito do rio, totalmente explorável.

From Cachoeiras de Itambé

Seguismo adiante, agora descendo bastante, ainda com a guia nos acompanhando.

From Cachoeiras de Itambé



Quase chegando na queda (estamos na parte de cima dela, nessa foto). Os últimos 50 metros da trilha é preciso dar uma pequena escaladinha num paredão da cachoeira. Mas é tranquilo, só ir com calma.
From Cachoeiras de Itambé


A Cachoeira Serenata nos surpreendeu por sua beleza como um todo. Por fotos não haviamos percebido como ela era muito bem. De fato, as fotos que encontramos enganam pois fazem a queda parecer menor do que ela é.

É uma cachoeira com um repertório interessante: uma praiazinha no pé de sua queda com um poço bem agradável de se nadar sendo possível ficar debaixo de sua queda em pé (na areia) ou nadando, dependendo do ponto que você escolher.

From Cachoeiras de Itambé
Ficha:
Nome: Serenata
Altura: ~8 metros bem distribuídos
Largura máxima: cerca de 10 metros (larga)
tem área pra ficar deitado? Sim. vários pontos. Agradável de se ficar.
Poço: Diferenciado, agradável e heterogêneo.
Vegetação: possui algumas árvores, bastante areia em seu pé.
Dimensões do poço : 5m (comprimento) x 15m (largura) x 2m (profundidade máxima).

Importante notar que isso em época de seca. O poço deve ficar bem mais cheio em época de chuva, aumentando bastante sua profundidade, dadas as condições das pedras e areia em volta da área.


From Cachoeiras de Itambé



Detalhe da heterogeinidade do poço. Poucas pedras e muita areia. Nessa foto é possível ver a chegada ao pé da queda na parte funda (cerca de 2m de profundidade). A profundidade aumenta rapidamente de forma legal até sua queda. Mais a direita da queda, o poço fica bem raso, possibilitando ficar baixo a queda sem precisar molhar.

Notas:
Ficabilidade debaixo da queda:5 - revigorante e para todos os gostos
Pulabilidade no poço: 2 (na época de seca não tem muito poço pra se pular).
Nadabilidade no poço: 3 (poço legal, apesar de meio "seco', mas é facil seguro, sem pedras e convidativo pra se explorar todos os pontos de queda.)

From Cachoeiras de Itambé



Note mais a direita, o ponto da queda onde pode-se entrar sem nadar.
From Cachoeiras de Itambé

Detalhe, olhando desde a direita da queda.
From Cachoeiras de Itambé



Agora desde a esquerda (aí é onde a trilha chega)
From Cachoeiras de Itambé

Seguindo o leito do rio, andando mais 30 metros, você chega a um encontro de dois rios. Este da foto abaixo é um rio perpendicular ao leito do rio formado pela Cachoeira da Serenata. Muito bacana e ótimo para se descansar (muitas pedras para se descansar) além de poços ótimos.
From Cachoeiras de Itambé


Prainha do leito do rio 2 (perpendicular a cachoeira). Eu segui ele um pouco em busca de novas quedas, mas provavelmente, se houver, ficam bem mais adiante.
From Cachoeiras de Itambé

Recomendamos reservar a maior parte do seu tempo deste roteiro para a Cachoeira Serenata, que se mostrou uma surpresa, excelente queda, muito convidativa e vários pontos de exploração. Sugerimos apenas que não vá com o carro até o fim da estrada (bem complicada).

Na foto abaixo, mostramos a última subida que a Eco não encarou (fomos a pé).

From Cachoeiras de Itambé



Vídeos:





















Vídeo mostrando parte da dificuldade da estrada da Cachoeira Serenata (aqui estávamos voltando). Esse momento aí foi tenso. Com a poeira, o carro acabou saindo um pouco da estrada e ficando meio de lado. NEssa hora eu achei que estávamos ferrados. Com habilidade volantezística, o Cadu conseguiu dar uma ré ninja em cima do mato , pegar um mega impulso e vencer a subida. Mas fica a dica: Cautela ao enfrentar essa estrada sem 4x4!


Segue o mapa dos dois dias em Itambé do Mato Dentro com os pontos mais importantes.
Mapa: (Cabeça de Boi + Itambé do Mato Dentro (2 dias))





Visualizar Itambé do Mato Dentro (Real) em um mapa maior

7 comentários:

Eulalia disse...

Ow! Vcs estao suuuper de parabéns! Nunca li um post tão detalhado sobre algum destino viu! Muito obrigada! Ajudou muito! :D

Yogurt disse...

Valeu Eulalia! Continue nos visitando :), que daí continuamos postando muito!!! abraço, bom passeio!

elienai disse...

Parabéns pelas dicas e fotos....
Deixo um convite para que venham conhecer a cachoeira do chuvisco em santo antonio do rio abaixo, fica a 20km da cachoeira do funil. vc's vão adorar...abraços.
Nai e Ana.

Anônimo disse...

Fiquei com uma dúvida. Só é possível chegar à cachoeiras de carro? Ou dá para ir a pé, no caso de quem vai de ônibus e fica hospedado em Itambé?
Muito obrigada!

Yogurt disse...

Oi Elienai, obrigado pelo convite! Espero com muita ansiedade pelo meu tempinho pra poder voltar por aí. aí é uma área muito legal de Minas!

Anonimo: Se vc olhar no mapa, vc vai ver que a Cachoeira Vitoria e a do Lucio até que dá pra ir tranquilo a pé sim (consulte a distancia ali). Quanto as outras, não é tao perto assim.

Mas deve haver alguma condução que te leve la sim, Mas sugiro ligar pra confirmar isso! Ja as cachoeiras em Cabeça de Boi vc tem que pegar um bom chão.. tem de consultar como chegar la tb.

Então em resumo:

Cachoeira Vitoria e Lucio, até a pé dá.

As outras: tem que arrumar alguma condução (nós fomos de carro, mas pod existir alguma de aluguel)

Anônimo disse...

Que delicia de blog! Parabenssss
Minas tem mto lugar lindo e se tivesse informações claras assim era bem mais facil aproveitar tudo, rsss.
brigadim

Raquel, que esta a caminho de desbravar os 853 municipios da linda Minas Gerais

Diego Bigliani Solamito disse...

Oi Raquel, obrigado por apreciar!
Continua com a gente aí, blz? ;)